fbpx

Facebook vai adicionar opção para transformar salas do messenger em vídeos em direto

Durante estes últimos meses, com as pessoas confinadas em casa, vários foram os diretos que se realizaram a nível mundial sobre os mais variados temas.

Este foi um período de grande impulsão para as ferramentas de videoconferência que tiveram aqui uma oportunidade de crescimento.

No entanto, foi também a oportunidade para outras empresas integrarem esta funcionalidade e começarem a apostar mais neste tipo de plataformas. Um desses exemplos foi o Facebook que se apressou a desenvolver as suas salas de conversação.

Agora, a rede social dá um novo passo, permitindo transformar as salas de conversações em transmissões em direto.

Em breve, poderá usar o Facebook Live através das salas do Messenger

O Facebook apresentou hoje uma nova funcionalidade nas salas de conversação do Messenger.

Depois das transmissões em direto terem duplicado em junho de 2020, a rede social decidiu agora permitir aos seus utilizadores do Messenger transformar as salas em transmissões em vídeos do Facebook Live, permitindo fazer uma transmissão em direto com até 50 pessoas em simultâneo.

facebook live salas messenger
Publicidade

Estes diretos podem ser partilhados diretamente em perfis, páginas ou grupos, assim como podem ser enviados convites para que o direto possa ser acedido por pessoas sem conta Facebook.

O criador da sala tem à sua disposição várias ferramentas, permitindo partilhar a transmissão, gerir quem pode ver ou entrar no direto ou bloquear e desbloquear a sala. Os participantes podem entrar e sair quando pretenderem e, antes da sala passar a direto, têm a opção de sair da transmissão.

Esta nova função está disponível a partir de hoje para alguns países no Facebook e plataforma web do Messenger e será expandida, nos próximos tempos, para todos os utilizadores e também para as versões móveis das plataformas.

O Facebook procura assim simplificar a forma com que se faz diretos, entrevistas e conferências online nos dias de hoje, além de procurar roubar utilizadores às plataformas mais populares de videoconferências.

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Publicidade