Tesla começa a distribuir 9ª versão beta do Full Self-Driving

A promessa pela 9ª versão do software já é prometida por Elon Musk desde 2018, no entanto, foi este ano que a Tesla teve finalmente tudo a postos para começar a enviar a atualização para os clientes com a opção Full Self-Driving.

Esta opção permite aos condutores utilizarem muitas mais capacidades autónomas dos carros da empresa em estradas locais que não sejam vias rápidas. O software ainda se encontra em fase beta.

tesla carro
Publicidade

A promessa da Tesla finalmente tornou-se realidade

Começando em 2018, Elon Musk prometeu começar a distribuição desta versão em meados de agosto desse mesmo ano. Entretanto, não foi possível avançar com os planos e a história repetiu-se em 2019.

Mas, em 2019, a promessa seria de que os utilizadores ainda teriam de esperar pelo menos um ano até que o software estivesse pronto para ser enviado para os condutores e que nessa altura “mais de um milhão de carros vão ter o sistema completo de auto-condução”.

2020 passou e foi preciso chegar o inicio deste mês de julho de 2021 para que Musk voltasse a pronunciar-se com a promessa de que a versão beta do FSD 9 ia ser lançada brevemente.

Elon Musk indicou que não “esperava que fosse tão difícil” criar um software de condução completamente autónoma.

Mesmo assim, esta versão ainda está longe de ser perfeita e de permitir que os condutores abandonem por completo o volante do carro e a atenção à estrada. Como refere no Twitter, o CEO da Tesla explica que a “beta 9 resolve a maioria dos problemas já conhecidos, mas vão continuar a existir problemas que não conhecemos, portanto, por favor, sejam paranoicos”.

A segurança é, segundo Musk, a prioridade da empresa. No entanto, numa nota de lançamento, é indicado que os utilizadores que vão estar a testar esta nova versão do FSD tenham atenção pois o update “poderá fazer a coisa errada no pior momento”.

Foi referido ainda que existem melhorias na monitorização de câmaras na cabine do condutor de forma a verificar se estão atentos à condução que está a decorrer ou não assim como maiores visualizações no display do carro.

Por muito que a Tesla seja, provavelmente, a empresa mais capaz de um dia vir a entregar ao mercado um carro 100% autónomo no que diz respeito à condução, esse caminho ainda está longe de chegar ao fim.

Até ao momento os carros continuam a obrigar os condutores a estar com o máximo de atenção à estrada e apenas permitem ligar o “piloto automático” quando existe alguém no lugar do condutor e com as mãos no volante. Claro que, como seria de esperar, existem maneiras de contornar este sistema de segurança.

Uma dessas formas foi mostrada em abril quando um condutor decidiu experimentar e partilhar esta teoria. Bastou não abrir a porta do condutor para passar para o banco do pendura, colocar o cinto de segurança no banco do condutor e uns pesos agarrados ao volante que o carro assumiu que estaria alguém a conduzir.

Esta experiência não é recomendada a ninguém e o próprio autor deixou a indicação de que quem o decidir fazer estará a colocar-se a si mesmo em perigo tal como outras pessoas que se possam cruzar à frente do carro durante esta “experiência”.

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Publicidade