Google Pixel 8 VS Google Pixel 8a – o semelhante, o diferente e o nada a ver

Recentemente a Google apresentou o Google Pixel 8a, um smartphone da linha mais modesta da empresa que tem como objetivo oferecer aos utilizadores a melhor tecnologia da gigantes tecnológica a uma preço amis simpático.

Com um sucesso grande associado á linha A da Google, este ano a empresa apostou fortemente neste novo equipamento, com a linha que separa o Google Pixel 8 do Google Pixel 8a a ficar muito fina.

Assim sendo, pegámos nos dois smartphones e fomos ver quais a grandes diferenças existentes entre estes dois modelos que, apesar de partilharem grande parte do interior e exterior, continuam a ser dois smartphone muito diferentes um do outro.

Google Pixel 8 e Google Pixel 8a
Publicidade

Google Pixel 8a conta com o mesmo processador Tensor G3

Um dos pontos de destaque do Google Pixel 8 foi a inclusão do processador Tensor G3, o chip desenvolvido pela própria Google e que permite ao smartphone processar inúmeras atividades sem problemas, além de garantir que o mesmo consegue aguentar toda a Inteligência Artificial que a empresa incorporou nos smartphones.

Diferente da linha A do ano passado, este ano a Google decidiu que o modelo mais acessível ia ter o mesmo processador que os modelos topo de gama, incorporando assim o Tensor G3 na gama A e oferecendo aos utilizadores o acesso a todas as capacidades que iam conseguir ter nos equipamentos topo de gama da Google.

Google Pixel 8 e Google Pixel 8a

Além disso, este é um ponto relevante no que diz respeito às futuras atualizações de sistema, uma vez que agora o Googel Pixel 8a vai contar, também ele, com 7 anos de atualizações e novidades por parte da empresa, exatamente como acontece com os topos de gama.

Ecrã e design em tudo semelhantes

No que diz respeito ao exterior dos dois smartphones, existem muitas semelhanças entre os dois modelos, mas também várias diferenças onde podemos perceber que se trata de uma gama média e de um topo de gama.

Para começar, o pixel 8 tem uma ligeira vantagem a nível de tamanho de ecrã, contando com um painel de 6,2 polegadas, OLED, com uma taxa de atualização de até 120Hz. Já o modelo da gama A tem um ecrã de 6,1 polegada, também OLED e, também, com até 120Hz de taxa de atualização, no entanto, esta variação da taxa de atualização é mais contida que o modelo de topo, sendo definidos intervalos certos em vez de variar entre 1 a 120 Hz.

Além disso, enquanto o modelo de topo conta com uma proteção de ecrã contra riscos Corning Gorila Glass Victus, a gama média tem uma proteção Gorila Glass 3. Apesar de não ser uma má proteção é, sem dúvida, uma diferença considerável na resistência do material.

Google Pixel 8 e Google Pixel 8a

O ecrã do Pixel 8a tem ainda uma moldura muito mais notória e presente quando comparado com o modelo de topo, dando logo a enter qual dos dois é o smartphone mais contido no preço.

Além disso, enquanto o modelo de topo conta com uma construção feita em alumínio e vidro, o Pixel 8a tem uma traseira em plástico que, apesar de bem construído e de ter acabamentos muito bem polidos, acabam por retirar um pouco daquela sensação de smartphone premium que conseguimos ter com o uso do vidro.

No campo da construção existe, como tem sido normal nestes equipamentos, uma clara diferença no que diz respeito ao módulo das câmaras. O Pixel 8a consegue apresentar um alto traseiro muito mais pequeno que o que conseguimos ver no modelo de topo, contribuindo para tal o facto de este ser ligeiramente mais grosso.

Bateria e autonomia

Pelos testes realizados com os dois smartphones, ambos oferecem autonomia suficiente para um dia de utilização normal sem grandes problemas.

A capacidade de ambas as baterias é muito semelhante, mas as capacidades de carregamento é que já se mostram bastante distintas.

Google Pixel 8 e Google Pixel 8a

Este é um fator que ajuda a distinguir os dois smartphones, uma vez que o Google Pixel 8 consegue carregar, via cabo, até 27W e sem fios a 18W enquanto o modelo intermédio consegue carregar até 18W com o cabo e até 7,5W com um carregador sem fios.

Isto traduz-se numa velocidade maior com o modelo de topo que permite entender a duração da bateria nos dias mais longos de forma mais rápida e conveniente.

Câmara muito boa, mas diferente

Apesar de todas as capacidades que o Pixel 8a consegue trazer para os utilizadores, a câmara continua a não ser algo que a empresa queira que seja igual aos modelos de topo, até porque este seria um ponto de destaque que se iria perder caso o fizessem.

No entanto, o Pixel 8a consegue oferecer fotografias com uma qualidade muito superior ao que é esperado numa gama média, mesmo mantendo o mesmo módulo de câmaras que o modelo do ano anterior.

O novo processador permite ao equipamento aceder a novas capacidades de processamento, assim como a muitas ferramentas de IA que a empresa tem apostado fortemente nos equipamentos Pixel.

Assim sendo, as fotos são melhores que as obtidas no ano anterior com o Pixel 7a, são superiores à grande maioria dos smartphones da mesma faixa de preço, mas ligeiramente mais contidas quando comparadas ao modelo de topo.

O equilíbrio entre as diferentes câmaras e os modos de zoom é bastante equilibrado nos dois equipamentos, como já se conhecia, mas quando comparado um com o outro existe uma ligeira vantagem no modelo de topo, que oferece um melhor tratamento da cor, especialmente nas zonas mais escuras, assim como o HDR consegue equilibrar toda a fotografia de forma mais suave e natural.

Um dos pontos que maior diferença pode fazer nas fotografias macro entre os dois equipamentos, é que o Google Pixel 8 conta com o modo Super Macro, que permite aproximar o smartphone do objeto a fotografar. Este modo oferece muito mais detalhe do objeto em questão, algo que acabamos por perder no equipamento de gama média.

Quando a luz começa a falhar e precisamos de uma boa foto, os dois smartphones estão mais que aptos a tratar da situação. No entanto, como seria de esperar, a IA não consegue fazer o trabalho todo pelo utilizador e, como tal, os resultados acabam por ser distintos entre o topo de gama e o gama média.

Pela comparação das fotos acima, podemos confirmar que existem diferenças consideráveis no modo noturno dos dois smartphones. Nos cenários com pouca luz, a diferença é menos visível, mas quando a luz é praticamente inexistente, o modelo de gama média mostra alguma dificuldade em conseguir captar alguma luz, resultando numa foto com muito mais grão, menos detalhes e com uma tonalidade muito mais amarelada.

Nos cenários exteriores, o resultado final durante a noite é um pouco mais equilibrado entre os dois equipamentos, permitindo obter fotos muito bem trabalhadas e parecidas ao que realmente estamos a ver. Neste caso em concreto, o Pixel 8a tem apenas uma ligeira tendência a clarear demasiado o céu e perde um pouco de informação na zona mais escura, à direita, nas árvores.

De forma geral, o modelo de gama média continua a oferecer uma câmara incrivelmente capaz para o valor do equipamento e talvez até seja a melhor câmara da gama média atual do mercado. No entanto, tem algumas limitações que foram deixadas apenas para os modelos de topo.

Vale a pena o Pixel 8a em vez do Pixel 8?

Esta é uma dúvida bastante válida, até porque o PVPR do modelo mais em conta começa nos 559€, um valor muito perto daquela a que o modelo de topo chega a estar quando existem promoções a decorrer nos revendedores.

Assim sendo, o que o utilizador deve ter em conta ao escolher um destes dois modelos, é a utilidade que lhe vai dar assim como o modo de utilizar.

Google Pixel 8 e Google Pixel 8a

Sem sombra de dúvidas que o Pixel 8a é muito mais confortável de ter na mão, é mais leve, o plástico não deixa impressões digitais na traseira, e o módulo das câmaras é menos saído da traseira do equipamento. No entanto, o Pixel 8 conta com um acabamento mais premium e um ecrã mais resistente e mais bem adaptado que o modelo de gama média.

No campo da fotografia, a escolha é fácil, se é para um utilizador que quer ter uma das melhores câmaras do mercado atual, então a escolha entre estes dois equipamentos vai recair sobre o modelo de topo. Já se o que procura é uma excelente câmara sem gastar tanto dinheiro, o modelo de gama média vai ser a escolhe ideal e, se não existir uma comparação lado a lado, na maioria dos casos ninguém consegue distinguir os resultados de um ou de outro smartphone.

A nível de bateria e autonomia os dois oferecem resultados muito semelhantes, com o modelo de topo a conseguir carregar mais rapidamente, o que poderá ser útil para pessoas que passam mais horas fora de casa e utilizam muito o smartphone. No entanto, ambos aguentam um dia normal de uso e, se ficarem a carregar durante a noite, não vai existir grande diferença nas velocidades de carregamento.

Google Pixel 8 e Google Pixel 8a

De forma geral, os dois smartphones parecem ser o mesmo equipamento. Partilham muitas características internas e externas e a ideia da gama A, neste caso em concreto, foi mesmo tornar este equipamento o mais semelhante possível à gama alta sem prejudicar muito o preço.

Claro está que, sendo uma gama média e uma gama alta, as diferenças têm de existir de forma também a justificar os dois equipamentos no mercado e, de forma resumida, o que o Pixel 8 oferece a mais é o toque premium, com a traseira em vidro e uma proteção melhor no ecrã, uma taxa de atualização mais versátil, um conjunto melhor de câmaras, especialmente de noite e o acesso ao Vídeo Boost, a funcionalidade de IA que a empresa não vai disponibilizar no modelo de gama média.

Para saber a nossa opinião mais detalhada sobre os dois equipamentos, poderá ler a análise do Google Pixel 8 assim como a análise do Google Pixel 8a.

Participe no passatempo:
giveaway tribit stormbox micro 2

Partilhe este artigo

Techbit
RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS TECNOLÓGICAS NO SEU EMAIL
Invalid email address
Prometemos não fazer spam e enviar apenas os conteúdos essenciais

Deixe um comentário

Publicidade
Blogarama - Blog Directory

Participe nos nossos giveaway de 4º aniversário

X