Problema com o fornecimento de processadores poderá ser difícil de resolver

Simon Segars, CEO da Arm, esteve no palco central da Web Summit a falar do problema atual que o mundo enfrenta com a falta de processadores para os equipamentos.

O especialista na área não mostrou um cenário muito positivo ara a situação e explicou que o problema não poderá ser resolvido em pouco tempo.

apple silicon processador
Publicidade

Quão difícil pode ser fabricar mais processadores? “É muito difícil”

“Todos os equipamentos do dia a dia contam com algum tipo e processador para poderem funcionar como deve de ser”, explicou o orador a todos os presentes na Web Summit.

Desta forma, o número de encomendas é, diariamente, bastante elevado. Isto sem contar com o facto de que alguns necessitam de mais que um processador, como é o caso dos carros. “Um carro totalmente elétrico pode precisar de até 3000 processadores na totalidade”, comenta Segars.

processadores web summit

Com o número “53” em destaque num dos ecrãs do palco central, o orador começa a explicar que aqueles são os dias que faltam até ao Natal e que “é provável que nem todas as encomendas de consolas, telemóveis, etc., consigam ser satisfeitas a tempo da noite de Natal”.

A pandemia COVID-19 impactou bastante o mercado criando um grande défice neste ramo, impossibilitando assim que todas as marcas consigam receber o fornecimento necessário de processadores. A Sony sofreu bastante com este problema, com as PS5 ainda escassas no mercado e encomendas de lojas por satisfazer, e mesmo a Apple foi impactada com isto.

apple ipad tablet iphone

Segundo o MacRumors, supostamente a Apple está a recorrer aos componentes designados para o fabrico dos novos iPad para conseguir satisfazer as encomendas dos iPhone 13. Uma vez que ambos utilizam alguns componentes iguais, a empresa parece ter optado por priorizar o fabrico dos smartphones em vez dos tablets.

De forma a encerrar o seu momento em palco, Simon Segars deixa o seu parecer sobre a resolução deste problema que, segundo o mesmo, “no Natal do próximo ano a situação deve estar muito melhor, mas não vai estar resolvida”. Isto porque, ao contrário do que muitos podem pensar, “fabricar um processador é muito difícil”.

Partilhe este artigo

Deixe um comentário

Publicidade