fbpx

HarmonyOS será disponibilizado aos developers a 16 de dezembro

Depois de perder o acesso aos serviços da Google, devido às restrições de Trump, a Huawei começou a traçar um plano alternativo para os seus smartphones.

Além de desenvolver os Huawei Mobile Services, com loja e aplicações próprias, desvendou também o seu novo sistema operativo, o HarmonyOS.

Esta plataforma foi inicialmente implementada em SmartTVs, estando agora pronta para ser testado em smartphones, algo que vai acontecer já a 16 de dezembro.

harmonyOS 2.0
Publicidade

Huawei vai disponibilizar HarmonyOS aos developers a 16 de dezembro

A Huawei revelou no ano passado o HarmonyOS, um sistema operativo próprio desenvolvido para substituir gradualmente o Android nos seus equipamentos.

Depois de um ano a amadurecer, a marca chinesa apresentou a versão 2.0 este ano e anunciou que iria começar a integrar nos seus equipamentos.

roadmap openharmony harmonyOS 2.0

Após os primeiros testes em SmartTVs, o HarmonyOS vai chegar agora aos developers, estando o lançamento da primeira versão agendado para 16 de dezembro. Este será o primeiro contacto da comunidade com este sistema, podendo começar a adaptar as suas aplicações para esta nova plataforma.

Depois destes primeiros testes, o HarmonyOS deverá começar a chegar gradualmente aos equipamentos da Huawei, substituindo o sistema Android.

huawei harmonyos 2.0

Ao que tudo indica, esta nova plataforma foi desenhada para se adaptar aos vários equipamentos da marca, como smartphones, SmartTVs ou, smartwatches ou mesmo computadores, e deverá ser compatível com aplicações Android.

Siga o Techbit no Facebook

Partilhe este artigo

2 comentários em “HarmonyOS será disponibilizado aos developers a 16 de dezembro”

  1. Parece existir uma certa fixação com o Trump neste site. As restrições em geral são a pedido do departamento de estado e agencias de segurança passando pelo senado em algumas circunstancias. Aliás pelo que estão reportando parece que esta situação de desconfiança com aplicações chinesas continuará, mas veremos se será assim mesmo ou não. Acredito que não estão acompanhando mas o governo da India é ainda mais rigoroso com seus interesses e sua segurança nacional banindo ainda mais aplicações que o “Trump”.
    https://www.gsmarena.com/indian_government_bans_43_more_chinese_apps_including_aliexpress-news-46430.php
    até!

    Responder
    • Boa tarde Jonas.

      Percebemos o seu ponto de vista e é, de facto, um argumento que usamos muitas vezes, embora por diversas vezes usemos a expressão “governo de Trump” para englobar toda a estrutura governativa dos Estados Unidos, o que efetivamente não se passou neste artigo.

      Concordamos que a Índia tem tomado também várias medidas contra aplicações chinesas, com o Pugb e o TikTok À cabeça, mas tem sido o governo americano que tem mexido mais a economia mundial e colocado restrições que afetam empresas mundiais. A partir do momento que as decisões do governo americano ultrapassam a influência das empresas americanas e começam a influenciar empresas a nível mundial, encurtando bastante os seus lucros (como é o caso da secção de ecrãs da Samsung) acaba por ser algum abuso do seu poder.

      Mas, como é obvio, esta é a nossa opinião, e percebemos completamente aquilo que comentou 🙂

      Responder

Deixe um comentário

Publicidade