Aplicação portuguesa de “contact tracing” do INESC TEC já está a ser avaliada pela Google e Apple

O ano 2020 está já marcado por uma das maiores pandemias que há memória. O Covid-19 obrigou países a entrar em confinamento, a fechar fronteiras e a encerrar, quase que por completo toda a sua atividade económica.

No entanto, durante estes tempos difíceis, foi também possível observar alguma cooperação entre vizinhos, amigos e desconhecidos e o esforço das empresas para ajudar a suprimir as necessidades de material.

O mundo da tecnologia assistiu também neste período a algo inesperado, quando a Google e a Apple decidiram colocar de lado a sua rivalidade e unirem-se para desenvolverem uma API que permitisse o desenvolvimento de aplicações para combater a propagação do Covid-19.

Fruto dessa parceria, vários países têm agora lançado a sua aplicação de “contact tracing” e Portugal deverá ser mesmo um dos próximos. A aplicação StayAway Covid do INESC TEC está já a ser analisada pela Google e Apple de forma a ter autorização para integrar as suas lojas de aplicações.

Aplicação StayAway Covid do INESC TEC está praticamente finalizada

O INESC TEC tem trabalhado nos últimos tempos numa aplicação de “contact tracing” voluntária para Portugal baseada no sistema criado pela Google e Apple.

Embora não tenha o apoio formal do estado, o INESC TEC tem coordenado o desenvolvimento com o executivo e deverá representar Portugal neste tipo de aplicações, uma vez que a Google e a Apple só permitem uma aplicação deste tipo por país.

Até agora a StayAway Covid já colheu o apoio informal do primeiro-ministro, que garantiu há semanas que iria instalar a aplicação quando estivesse disponível, assim como do Ministério da Educação, conforme confirma Rui Oliveira, administrador do Instituto após conversa com a Ministra da Saúde, Marta Temido. Também o Presidente da República já se referiu a este assunto, à saída da reunião do Infarmed, confirmando que havia empresas Portuguesas a trabalhar neste projeto.

Do lado da Comissão Nacional de Proteção de Dados foi hoje revelado que não deverá haver oposição ao lançamento desta aplicação do INESC TEC.

Stayaway covid inesc tec portugal
Publicidade

Como funciona a StayAway Covid do INESC TEC

Antes de explicar-mos o funcionamento desta aplicação, é importante referir que será de utilização voluntária, ou seja, ninguém irá ser obrigada a utilizá-la. Além disso, Rui Oliveira reforça que o anonimato do utilizador será sempre garantido, não havendo partilha de informações com o governo ou as autoridades.

Ao utilizar esta aplicação, o utilizador irá estar a partilhar com os equipamentos nas proximidades um código aleatório que será guardado pelos outros dispositivos durante pelo menos 14 dias.

Duas vezes por dia, sempre a horas diferentes, a aplicação irá ligar-se à base de dados, consultando a lista de infetados. Caso seja detetado que um infetado esteve em contacto com o utilizador nos últimos 14 dias, comparando para isso o código da pessoa infetada com os códigos registados no equipamento, irá soar um alarme que avisa a possibilidade de um contacto com alguém infetado.

Como é que uma pessoa infetada é sinalizada?

Quando é detetada uma pessoa infetada, o médico irá ter acesso a um backoffice onde digita a data possível de contágio, sem que seja necessário inserir qualquer dado pessoal do paciente. O sistema irá então retribuir com um código de 12 dígitos que é entregue ao paciente.

Caso este pretenda, pode inserir este código na aplicação, sinalizando-se como infetado, ação esta que irá permitir enviar aos outros utilizadores que estiveram próximos nos últimos 14 dias um alerta de possível contágio.

como funcionam as aplicacoes de contact tracing INESC TEC
Imagem: Eco

O StayAway Covid está praticamente concluído, faltando agora a validação da Google e da Apple para que possa ser publicada nas lojas de aplicações. Como este processo não tem um prazo para ser concluído e como pode ser necessária alguma correção, ainda não há uma data prevista para o lançamento desta aplicação, embora se espera que aconteça nas próximas semanas.

Do lado do INESC TEC o projeto completo está praticamente concluído, faltando apenas terminar a interligação com as aplicações de outros países e o backoffice para os médicos.

Fonte: Eco

Deixe um comentário

Publicidade