Serviços públicos viram-se obrigados a acelerar a modernização em 2024

Os diversos desenvolvimentos geopolíticos, a pressão sociopolítica entre outros fatores variados, levaram a que muitos serviços públicos tivessem de começar a acelerar a modernização em 2024.

Segundo avança a Eaton, o que há algum tempo estava previsto para um período de 30 anos, passou a ter de ser feito em 10 anos, no máximo, levando a que muitos serviços públicos se vissem forçados a acelerar o ritmo.

energias renovaveis serviços públicos
Publicidade

Redução de emissões de gases com efeito estufa poderá ser complicado para os serviços públicos

Os mais recentes movimentos geopolíticos, a pressão sociopolítica e o próprio ritmo evolutivo do setor, levaram a União Europeia a acelerar o desenvolvimento de fontes de energia alternativas e a integração das energias renováveis enquanto principal fonte de energia na rede.

De acordo com um relatório da Smart Energy Europe, só será possível cumprir o objetivo de redução de 55% das emissões de gases com efeito de estufa da UE se a flexibilidade do lado da procura for implementada em grande escala. Isto é especialmente verdade porque se prevê que a procura de energia aumente substancialmente, criando paralelamente a necessidade de mais subestações e de uma melhor estabilidade da rede.

co2

No meio destes desafios, o setor dos serviços públicos enfrenta oportunidades e desenvolvimentos significativos em 2024. A Eaton, empresa líder na gestão de energia, destaca os mais importantes:

Desafios no time-to-market: complexidade e dinâmica da cadeia de abastecimento

Um desafio crítico que o sector dos serviços públicos enfrenta é a necessidade premente de acelerar o time-to-market. O sector debate-se com a complexidade da gestão da cadeia de abastecimento, incluindo a necessidade de identificar fornecedores, de aumentar a produção para satisfazer a procura crescente e se adaptar aos novos requisitos das subestações.

Além disso, a evolução da arquitetura do sector exige uma maior automatização e digitalização para melhorar a eficiência operacional global e a taxa de execução dos projetos.

dan meyers vouoK daWL8 unsplash serviços públicos

Prevê-se que esta situação tenha um impacto a longo prazo na transição energética e que venha a dificultar o processo. Prevê-se ainda que a utilização de ativos flexíveis já existentes e a implementação mais rápida de subestações inteligentes possam ajudar a resolver o problema.

Panorama regulamentar

As eminentes alterações na regulamentação, previstas para 2024, estão a moldar o sector dos serviços públicos.

Tradicionalmente caracterizado pelo conservadorismo e por longos processos de planeamento, o sector vê-se agora confrontado com a tão esperada proibição da utilização de SF6 nos comutadores, que está a conduzir a uma mudança de mentalidade e à criação de estratégias que têm por base a criação de infraestruturas preparadas para o futuro.

Integração das energias renováveis

O contexto geopolítico, mais concretamente, a guerra na Ucrânia, levou a União Europeia (UE) a diversificar o aprovisionamento energético levando ao afastamento do petróleo e do gás russos, o que resultou em esforços renovados para expandir a produção de energia renovável.

chris leboutillier TUJud0AWAPI unsplash serviços públicos

A integração de ativos flexíveis, como carregadores elétricos para automóveis, armazenamento de energia ou bombas de calor, deverá resultar num menor custo total de propriedade (TCO) da infraestrutura da rede.

Responsabilidade empresarial: navegar o impacto das alterações climáticas

O sector dos serviços públicos reconhece cada vez mais a responsabilidade que tem pelo impacto das alterações climáticas. De facto, a redução das emissões de gases com efeito de estufa não é apenas um requisito legal, mas também uma obrigação moral e uma questão de interesse próprio.

Este sentido de responsabilidade alinha-se com as tendências mais amplas do sector, uma vez que as empresas estão a integrar considerações de sustentabilidade nos seus processos de tomada de decisão.

markus spiske dYZumbs8f E unsplash serviços públicos

Em 2023, na sequência da guerra na Ucrânia, os avanços em matéria de sustentabilidade no sector dos serviços públicos centraram-se na utilização de energias renováveis para reduzir a dependência da Europa em relação aos combustíveis fósseis.

Paralelamente, a estratégia net zero da UE tem também como objetivo atingir a neutralidade climática até 2050, o que implica a redução a zero das emissões líquidas de gases com efeito de estufa. Esta iniciativa faz parte integrante do Pacto Ecológico Europeu, um projeto de transição para uma economia e uma sociedade sustentáveis e respeitadoras do ambiente.

Distribuição descentralizada de energia elétrica: adoção de capacidades bidirecionais

O modelo descentralizado de distribuição de energia está a ganhar terreno, sublinhando a importância crescente das capacidades bidirecionais, transformando os consumidores em prosumidores.

Esta abordagem, que faz parte integrante da estratégia de descentralização, dará ao sector uma maior flexibilidade e adaptabilidade na navegação no dinâmico panorama energético.

fre sonneveld q6n8nIrDQHE unsplash serviços públicos

Em conclusão, o sector dos serviços públicos e das energias renováveis encontra-se numa encruzilhada crítica, na medida em que procura gerir a dinâmica acelerada do mercado, aproveitar novas oportunidades e adaptar-se ao panorama regulamentar em evolução.

2023 marcou um momento importante para o sector dos serviços públicos, caracterizado pela integração maciça das energias renováveis na rede. A capacidade da indústria para moldar um futuro sustentável e resiliente dependerá da sua capacidade de responder proactivamente às mudanças no panorama energético.

minibanner thunderx3

Partilhe este artigo

Techbit
RECEBA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS TECNOLÓGICAS NO SEU EMAIL
Invalid email address
Prometemos não fazer spam e enviar apenas os conteúdos essenciais

Deixe um comentário

Publicidade
Blogarama - Blog Directory